Aprendendo no cinema: quais as reflexões “Boyhood” pode trazer para pais e filhos?

By 14 de março de 2015Dicas

Boyhood é um dos filmes mais celebrados do último ano, especialmente pela coragem e audácia do diretor Richard Linklater, que desenvolveu o projeto de seu filme ao longo de 12 anos, reunindo o mesmo elenco durante cerca de três dias todos os anos para filmar as cenas do longa, acompanhando o crescimento de cada um deles, de forma a dar uma continuidade ao filme — que se aproxima muito da realidade.

Para além de discussões técnicas, o longa trata de um tema extremamente delicado: a vida das pessoas. A obra acompanha o crescimento do menino Mason, desde a sua infância até a sua adolescência e todos os aspectos que rodeiam essa fase de transição, como a descoberta da sexualidade e de sua identidade pessoal.

A trajetória de Mason ao longo dos anos é marcada por acontecimentos que sintetizam momentos que podem ser extremamente marcantes para uma criança ou adolescente, como a separação dos pais, o segundo casamento, o primeiro fora da primeira namorada. Isso, inclusive, possibilita trazer para a vida real a discussão sobre alguns temas tratados no filme, que envolvem o desenvolvimento da criança e a relação entre pais e filhos. Acompanhe com a gente:

Divórcio dos pais, erros e acertos

Pouco tempo depois de seu nascimento, os pais de Mason decidem se separar. A mãe de Mason se vê em uma situação muito comum nos dias de hoje, de uma mulher sozinha e com filhos que precisa estudar e trabalhar para sustentar a si e sua família. De outro lado, o pai tenta encontrar um caminho em meio a erros e acertos e construir sua vida ao lado de outra pessoa, mas se mantendo presente na vida dos filhos. Mesmo separados, ambos se esforçam, cada qual à sua maneira, para criar os dois filhos da melhor maneira possível

A experiência da separação dos pais é delicada e traumática para muitas crianças que ainda não entendem as razões por trás do divórcio. Para muitas delas, é inconcebível que seus pais não permaneçam juntos e a consciência deste fato pode trazer à tona um misto de emoções que, na maioria das vezes, não são reconhecidas e nem bem interpretadas pela criança e pelo adolescente.

Trabalhar essa questão com os seus filhos sobre isso pode fazer com que eles tenham uma compreensão diferente do contexto da sua vida, suavizando o impacto da mudança em sua rotina e permitindo que ele se acostume à sua nova realidade com mais facilidade.

Mudanças constantes

A mãe de Mason se casa duas vezes ao longo do filme, apresentando Mason e sua irmã a diferentes situações a cada nova mudança de casa e de cidade. Essas mudanças implicam em adaptações a cenários diversos, como novas escolas, novas turmas, uma vizinhança diferente. Todas são situações muito comuns em famílias que já se encontraram nessa mesma condição, de ver sua estrutura se romper e buscar novas formas de recomeçar contornando as dificuldades e se reerguendo aos poucos.

O tema da adaptação pode ser vastamente trabalhado tanto entre pais e filhos quanto na escola. É muito comum que alunos sejam matriculados no meio do ano escolar em razão de alguma mudança em sua vida e essa fase de adaptação é extremamente importante para a evolução e o bem-estar da criança e do adolescente.

Escolhas de vida

A criança tem uma tendência a observar as atitudes dos pais e internalizar suas escolhas como sendo certas, atitudes que, por vezes, podem ser até repetidas pela criança. As escolhas feitas pelos pais de Mason são observadas atentamente pelo garoto e sua irmã que, com o passar dos anos, passam a encarar as coisas de formas diferentes um do outro.

As escolhas de vida podem — e devem — ser trabalhadas com as crianças e adolescentes a fim de mostrar que alguns comportamentos não precisam, necessariamente, ser repetidos e que eles são donos de seu próprio destino.

Influências culturais

Em Boyhood, o pai de Mason utiliza a música para explicar para o filho o significado da vida, do amor, da perda, dentre outros pequenos aspectos que vão sendo passados de pais para filho ao longo da vida. Muito da bagagem cultural levada pela criança para sua vida vem do contato com as pessoas mais próximas de sua vida, que podem ser seus pais, tios ou primos. O contato com atividades culturais como música, teatro, cinema e leitura têm um profundo caráter terapêutico e pode auxiliar no trabalho de diversos temas com crianças e adolescentes — além de influenciar diretamente no seu aprendizado.

O cinema tem a incrível capacidade de trazer até nós temas sobre nossas próprias vidas, de forma que possamos nos identificar e absorver suas lições de uma maneira mais fácil. Tem algum filme que você já tenha visto e que fez com que você refletisse sobre você mesmo, suas escolhas e seus filhos? Conte pra gente!

Leave a Reply